quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Clássico (Bem) Revisitado


CLÁSSICO (BEM) REVISITADO

Li em um dos artigos que os velhos gamers costumam a reclamar, dizendo: "No meu tempo, os jogos eram mais difíceis, não tinham vidas extras, nem check points" e, quando isso acontecia, era porque o jogador estava se referindo, certamente, a Prince Of Persia!
O clássico game disponibilizado para Apple II em 1989, era um marco para o game design daquela época. O apple II era a melhor plataforma do período para o desenvolvimento de jogos, não só porque podia exibir 'impressionantes' 16 cores na tela, mas por possuir o diferencial da portabilidade, que permitia que você mantivesse o jogo no disquetão de 5'1/2 e levasse para jogar na casa de qualquer amigo que também tivesse Apple II.

É claro que, naquela época, os consoles da Atari e outros fabricantes já possuíam cartuchos intercambiáveis, mas eles não permitiam que o jogo fosse copiado e distribuído para o amigos, certo?
No entanto, este não era o único (nem o melhor) diferencial do jogo.
Jordan Mechner, o designer responsável pela obra, tinha em mente desde o começo a criação de um clássico! Segundo consta em sua biografia, Mechner se interessava por cinema desde sua graduação e estudou a fundo a técnica pela qual é possível observarmos o movimento de forma fragmentada e sequencial. Esta técnica, conhecida como Rotoscopia, já foi largamente utilizada em animações e encaixava-se com perfeição aos objetivos do designer.

Sua primeira e bem-sucedida criação era o jogo karateka, também para Apple II em 1984, e se destacava pela elegante performance dos lutadores na tela, mesmo que a qualidade dos gráficos fosse tão sofrível como aqueles criados para consoles básicos como o Atari e Coleco. O truque de
Mechner estava na forma como ele criava e montava os 'sprites' do jogo, utilizando a rotoscopia e animando os bitmaps resultantes da filmagem original do quadro-a-quadro de movimentos reais de seu irmão.

Esta decomposição do movimento em pequenos 'frames' (para usar uma linguagem mais atual) foi desenvolvida por
Eadweard James Muybridge, fotógrafo e investigador britânico, que realizou uma extensa pesquisa com cavalos e outros animais, em 1878 e patenteada mais tarde por Max Fleischer, animador de grande sucesso, responsável por desenhos como Poppeye e Betty Boop e que criou as primeiras animações utilizando este recurso em 1916, com a série "Out of te Inkwell", que você pode assistir aqui.

Nos anos 70, a técnica ainda era bastante utilizada no cinema, principalmente para conter custos de produção. São famosos os casos da animação 'Wizards' (1977) de Ralph Bakshi e de 'Star Wars' (1977) de George Lucas, que pediram respectivamente US$ 50 mil e US$ 3 milhões de verba suplementar à Fox para finalizar os trabalhos e, tendo seus pedidos recusados, optaram pela Rotoscopia para terminar os filmes.

Outra curiosidade sobre o game, foi o mote que inspirou Mechner a realizá-lo: "Eu tinha feito 'Karateka' enquanto estava na faculdade e sabia que queria fazer um outro jogo... Parte da razão para o sucesso de 'Karateka' era que ele estava ambientado no Japão medieval, que era aquele universo rico e exótico. Eu estava pensando o que poderia ser como aquilo, apenas [um pouco] diferente, e fui parar no mundo de 'As 1001 Noites'. Para além da jogabilidade, no entanto, a inspiração veio mesmo dos oito minutos iniciais de Caçadores da Arca Perdida', em que Indiana Jones corre e pula, setas são lançadas, ele pula por sobre o abismo, se agarra com as pontas dos dedos e se impulsiona no momento em que o portal está se fechando!"
O resto desta entrevista pode ser lido (em inglês!)
no site Gamasutra, mas atenção: é necessário ter login para acesso.

Pois bem, Prince of Persia foi revolucionário e gerou continuações que deixaram a desejar em relação ao original, sendo: Prince of Persia II - The Shadow and The Flame (1994), Prince of Persia 3D (1999), Prince of Persia: The Sands of Time (2003), Prince of Persia: Warrior Within (2004) e Prince of Persia: The Two Thrones (2005), além de um remake para celular, Harem Adventures.

A boa novidade é que a Ubisoft resolveu se redimir e acaba de lançar Prince of Persia Classic para Xbox. Será que é bom?, você vai perguntar. Só pra não estender a conversa, veja o que a redação do Uol Jogos comentou a respeito do lançamento: "
Por 800 Microsoft Points (US$ 10), "Prince of Persia Classic" dá uma aula sobre como um remake deve ser". Tá bom pra você?
O site especializado Gamespot vai na mesma linha e afirma: " Prince of Persia Classic é um exemplo refinado de como modernizar um jogo antigo mantendo o seu apelo intacto".


Todas as análises da internet lamentam que o Xbox Live não disponibiliza o jogo original, mas comemoram o fato de os principais aspectos da jogabilidade continuarem os mesmos, como o fato de se ter ainda somente 60 minutos para salvar a princesa das garras do temível Jafar ou a performance do personagem, que continua praticamente a mesma do jogo anterior, salvo pelos belos gráficos atuais (confira o vídeo no Youtube).

O game também conta agora com check points. Isto significa que, se o seu príncipe morrer depois de passar por um destes pontos, não precisará voltar ao começo do jogo, ressurgindo a partir daí. Desta vez, também é possível salvar a princesa, mesmo depois de terem se passado os 60 minutos de prazo. Mas não espere um final feliz para o casal!


Em tempo: Uma versão cinematográfica já está em andamento pela Disney. O próprio Jordan Mechner está diretamente envolvido no desenvolvimento do roteiro e ninguém menos que Jerry 'Arrasa-Quarteirão' Bruckheimer está na a produção. É esperar para ver!

Se você quer matar a saudade deste clássico, baixe a versão para DOSBOX disponível no Sarcófago ou clique neste link, procure o botão Play Now no final da página e divirta-se jogando online!

3 comentários:

Marcelo Magalhães disse...

Fala Kao!! muito boa essa repotagem do Prince of Persia, vou dar uma jogadinha agora, abraços do ipiranga!

Luciana Farias disse...

HEHEHE, joguei muito Príncipe da pérsia no CCE de terceira mão do meu pai, rsrsrsrs...

Beijocas!!!

Alexo disse...

Aqui tem um complemento:

http://benzaitenbrasil.blogspot.com/2007/05/princeofpersia-classic.html