quarta-feira, 30 de setembro de 2009

ART GALLERY


Achei por acaso, e curti muito esta pequena galeria de pixel art online.

As imagens são bem legais e o site ainda conta com links como este, que apresenta outras pixel artes.

Have fun!



domingo, 20 de setembro de 2009

RETRO MAGAZINES

Recentemente, postei neste blog minhas humildes considerações sobre a recém lançada revista Old! Gamer.

Como eu disse na ocasião, a estética retrô nunca esteve tão em evidência, como mostram os lançamentos de inúmeros periódicos e sites sobre o assunto.

Só para você não achar que é mentira minha, seguem três sugestões de e-magazines, que apresentam e discutem o tema pra valer:


Retroaction: uma excelente revista eletrônica em PDF, que está no terceiro número.




Out of Print, um grande arquivo online, com vários scans de revista antigas sobre games.


E a
Retro Gaming Times, uma revista eletrônica em forma de site, com muitos artigos.


Divirta-se!

Em Tempo: A revista eletrônica Game Senior é outra ótima iniciativa brazuca, que você baixe nestes endereços:

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

PIXEL BUILDING

Ok.

Talvez você já tenha visto... Mas eu ainda não conhecia o Greenpix, um imenso painel de Leds na fachada de um complexo de lazer, em Beijing, China (devia ter assistido mais Olimpíadas!).

Mais fascinante do que o conceito de pixel-wall, no entanto, é a sacada de 'energia-zero', isto é, o painel só gasta aquilo que capta durante o dia, em forma de energia luminosa, a partir de células fotovoltaicas, mais conhecidas como painéis solares.


Além do óbvio uso que o mercado faz dele como painel publicitário (alguém aí se lembra do prédio do Anhembi, antes de virar Holliday Inn?), seus criadores descobriram que a obra também se destina a belas imagens de vídeo-arte.

O site do Greenpix tem mais informações.

Veja abaixo:

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

JOGAS MSX?!?


Não joga? Nem tem um velho ZX Spectrum no fundo do armário?!?

Então, esta notícia não é pro seu bico...

Jon Cortázaz, um fã incondicional desas retro-plataformas, desenvolveu este novo jogo, que já chega como clássico.

Baseado nos games primordiais, que eram desenvolvidos em quatro e oito bits para estas velhas máquinas, La Corona Encantada é um neo-retrô que bebe sem constrangimento na fonte da informática anciã.

Por isso mesmo, só está disponível nas linguagens nativas destes hardwares, em CD e - pasmem! - em fita cassete!


Seu criador está orgulhoso da obra e já saiu em matérias de diversos periódicos europeus, incluindo o influente jornal espanhol El País.


Como também não possuo estas máquinas de outrora não pude jogar, mas a rede está tomada de excelentes comentários sobre o jogo. Então, se você tiver um ZX, não perca tempo: Compre e jogue!













sábado, 12 de setembro de 2009

ONDE VAMOS PARAR?!?


Sei que Pacman já foi usado para todo tipo de tralha, gadget e merchadising, que inclui de lancheiras e almondegas... Porém, eu tinha a impressão de que havia um certo respeito pela figura rombuda do personagem, que já tem quase trinta anos...

Mas este comercial é muito, muito ruim! É quase uma ofensa ao venerável herói!

Assista e julgue por si mesmo...

Lamentável...


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

JOGOS ANTIGOS


Há várias iniciativas na rede de preservação ou manutenção de jogos clássicos, como você viu no post de ontem sobre a Sierra Online.

Outro site de linha semelhante, porém mais abrangente, é o Jogos Antigos, que oferece uma grande quantidade de jogos para download.

O próprio site afirma que só oferece games descontinuados ou esquecidos por suas desenvolvedoras, os famosos abandonwares.

Encontrei, por exemplo, o clássico Alone in the Dark, de 1990, entre outros clássicos.

Vale a pena dar uma conferida no site, que tem visual caprichado e é bem organizado.



quinta-feira, 10 de setembro de 2009

SIERRA (AGORA) ONLINE!


Ainda me surpreendo com prazer ao navegar na rede e descobrir preciosidades como o Sarien.net.

Este site, é uma produção de Martin Kool, um entusiasta dos jogos clássicos da Sierra Online, e disponibiliza para nós muitos dos grandes games da empresa... Online!!!

É isso mesmo. Você entra no site e escolhe o jogo que quer reviver; clica e... voliá! Está jogando, direto no navegador.

Rememore estes momentos do passado com muita diversão!



quarta-feira, 9 de setembro de 2009

OS GAMES ESTIMULAM!


Conhece Tetris? Se mora neste planeta, tenho certeza que sim...

Este jogo, do matemático russo Alexey Pajitnov em 1985 alcançou patamares nunca imaginados por seu criador, virando não somente uma coqueluque global, mas todo tipo de gadget curioso (como você vê em algumas fotos, abaixo).



Este bolo é para comemorar outro grande feito do jogo, recém descoberto pela pesquisa da Mind Research Network em parceria com a Blue Planet Software: Tetris faz mais do que divertir, ele aprimora seu cérebro!



De acordo com a
página de tecnologia do Yahoo, "o Dr. Richard Haier, pesquisador do projeto, acredita que o Tetris cria mudanças físicas duradouras na mente, ajudando a retardar o declínio do rraciocínio que acontece com o avanço da idade nas pessoas".

A mesma reportagem observa que "o estímulo causado pelo jogo também faz com que outas áreas do cérebro desenvolvam melhor seu córtex, aumentando o volume da massa encefálica".

Está ficando cada dia mais difícil para os detratores da nova mídia reclamar dos games, não é?
Curtiu a obra de arte acima? É da garotada de Melbourne, Austrália. Veja detalhes aqui.
O joguinho Tetris Tower 3D você pode comprar neste link, se quiser.
Por fim, divirta-se com a fábrica de Tetris, no vídeo abaixo.

TETRIS CF #1 from WooDUS on Vimeo.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

E A OLD CHEGOU!

Acabo de ler a primeira edição da revista Old!Gamer, da editora Europa.


Embora minhas impressões dificilmente cheguem a conhecimento dos editores da revista, creio que vale a pena fazer algumas considerações sobre o projeto.

Antes de mais nada, cabe parabenizar a equipe pela ousadia da proposta: bancar o lançamento de uma revista não e uma empreitada barata, mesmo para empresas estabelecidas como a editora, que já tem outros títulos ligados a informática e games no mercado. Não fosse o bastante, o próprio tema da publicação é um forte indicativo das possíveis dificuldades de penetração no mercado: em uma época de tamanha perseguição ao realismo 3D nos jogos, surge um periódico para falar de criações de segunda e terceira geração. Quem lê sobre este assunto hoje (no Brasil)? E quem irá se dispor a pagar a significativa quantia de R$ 14,90 para conhecer ou recapitular memórias de algo tão particular como jogos de oito bits?

Aparentemente, há publico para isso também. Na verdade, me impressiona que haja tantos entusiastas da estética retrô dos primeiros consoles e de temas a eles ligados, mas este fato é confirmado pela grande quantidade de sites e blogs sobre o assunto. Até mesmo entre os grandes portais de jogos da atualidade é possível encontrar áreas destinadas aos retrogames e autores especialistas no assunto. E, por fim, propostas como a revista eletrônica Jogos80, do Garret (também colaborador da Old!) e o próprio RGB contam com freqüentes acessos (o que significa que alguém vai acabar lendo isso, um dia, eheheh!).


Voltando a revista, fiquei agradavelmente surpreso com a qualidade e o acabamento do material, sinal de que a empresa aposta no interesse de um publico mais exigente e que se disponha a pagar o valor da edição.


Parabenizo também a qualidade gráfica do trabalho, que soube explorar a estética dos oito bits e dar um certo ar de jovialidade, sem ficar muito datado. Creia: isto não e fácil de fazer. Admito que, por uma questão de gosto pessoal, sinto-me mais a vontade com a estética da britânica Retrogamer, mas acho que a editora foi feliz na programação visual do material.





Outra boa surpresa foi a quantidade e a variedade de matérias, que não privilegiaram um console especifico ou um segmento particular de jogo, console ou geração, transitando com versatilidade e bom humor por vários assuntos que certamente estão no imaginário coletivo dos saudosistas dos retrobits.


Falando em bom humor, me diverti tremendamente com os artigos “Donzelas em Perigo” e “Phatasmagoria”, ambos extremamente pertinentes a mídia digital (o ‘mito do heroi’ e as experimentações dos limites tecnológicos das diversas plataformas com lançamentos para lá de inusitado) e que souberam apresentar os assuntos de forma muito engraçada mas sem descaracterizar outros aspectos relevantes destas produções.


Ao que me consta, a revista sofreu um significativo atraso quanto à data de lançamento prevista (maio, se não me engano). Se isto trouxe indignação ao coração dos saudosistas ansiosos, teve um lado provavelmente muito bom: permitiu a equipe lapidar os artigos, que saíram praticamente sem erros gritantes de revisão (e há revistas de games por aí com erros medonhos, que se repetem mês a mês!) e muito inspirados, como a sessão “O que diziam por ai...E no que deu, afinal”, muito interessante e curiosa, e a matéria sobre os games do rei do pop, muito oportuna e respeitosa à memória do ícone moonwalker.


Outras passagens também me agradaram, como a matéria sobre o Atari do já citado Garret e a detalhada matéria sobre Street Fighter II, embora eu nem seja um grande fã desse estilo de jogo.


No geral, vejo pontos acertivos e muito relevantes no produto que, apesar do valor relativamente elevado em relação a outras publicações, vale seu custo.


No quesito das reclamações do leitor (acharam que iam escapar, hein?) cito poucas, mas pertinentes questões:


1) Tamanho da fonte – publicações gamísticas em geral tendem a reduzir drasticamente o campo destinado a textos para encher os olhos da garotada com as belas imagens dos games. Isto nem é necessariamente ruim, mas em se tratando de um revista em que significativa parcela de leitores já se encontra na meia idade é quase uma maldade planejada colocar aquelas fontes em corpo 6 com fundo cinza! Considerem este assunto com carinho, editores! Vocês ainda vão chegar nessa idade e vão ver o que e bom para a tosse (e para a artrite, e para o lumbago...)


2) Poster – Ok! Também sou fã do Mario, mas... alguém viu a bela arte estampada nas contra capas internas? Porque aquilo não virou um pôster em tamanho A2? Limitação de direitos autorais??? Não percam tempo, editores: façam um belo pôster com aquele trabalho e deixem seus retro leitores mais felizes, procurando o Chuck Norris de 8 bits naquele mercado de pixels!


3) Fundo translúcido – Seguindo a tônica do item 1, como podem colocar piadas tão engraçadas em um fundo tão sofrível??? Não gostam de velhinhos, é???


4) As Galerias Old – Deixa eu adivinhar: ninguém fechou a parte das propagandas e tiveram que encher lingüiça com qualquer coisa de última hora, não foi? Caso contrario, porque não gastaram este espaço falando do Commander Keen ou do Q-bert???


No mais, congratulações a toda a equipe pela primeira edição caprichada e que a Old!Gamer tenha vida longa, porque assunto certamente não vai faltar!


Aguardo desde já o próximo número. (E o poster!!!)

Um retroabraço!


sábado, 5 de setembro de 2009

HERÓIS DE ARARAQUARA


Olá, Retronautas!
Conforme informado em post anterior, estive no último dia 02 em Araraquara para ministrar as palestras/oficinas "Criação de Personagens de 8 Bits" e "Heróis e Vilões para Games".


Foi um tempo muito divertido e agradável.
O SESC Araraquara é um lugar muito bonito e moderno, e fui muito bem recebido por todos.
As oficinas contaram com um público pequeno mas muito inspirador e empenhado.


Aí acima, está parte da galerinha que produziu online seus próprios heróis, a partir de referências apresentadas em um slideshow com informações sobre as características mais marcantes para a criação de personagens com tão poucos pixels.


Este jovem é o promissor Cauê, rapaz inteligente e esperto, que parece devorar todos os ícones da cultura contemporânea, de Mandrake a Matrix!
Ele participou das duas atividades e conta com grande apoio de seus pais, que certamente querem o melhor para seu brilhante garoto.


Esta jovem (Graziele?!?) também estava empolgada, e criou vários personagens até salvar o arquivo do 'Quadradal', que você confere na foto.


Na segunda atividade, expliquei quais são as bases mitológicas e psicossociais que compõem a criação de ícones como o Herói e o Vilão e, ao final, convidava a todos para produzirem a imagem de seus personagens com um programa gratuito online.



Valeu, SESC Araraquara!
Obrigado pela oportunidade de divulgar informação e de contribuir com o evento Game Cultura 2009.
Até breve!

E você? Está interessado em alguma das atividades? Entre em contato, deixando seu comentário!
Valeu!