terça-feira, 24 de junho de 2008

ROGER TAVARES E OS GAMES


Tenho o privilégio de ser amigo pessoal do Prof. Roger Tavares, professor e pesquisador do Centro Universitário Senac-SP, Doutor Comunicação e Semiótica com o tema Videogames e Pós-humanidade pela PUC de São Paulo e mantenedor da Comunidade Game Cultura.

Apesar do currículo invejável, Roger não tem soberba e está mais a fim de mostrar ao mundo que game não é um assunto de nerds pós-modernos e que está presente desde o começo da humanidade através do jogo social (como bem apresenta o trabalho de Johan Huizinga, historiador holandês, que vale à pena conhecer!).


Recentemente, a Game Cultura participou da final brasileira da ESWC e Roger foi entrevistado por Natanael Guimarães Rabelo para o site Game Sphere para falar um pouco sobre o mercado nacional de games e suas preferências.

A gente diverge um pouco no tema narratologia, mas no geral, concordo com suas observações. Entre outras coisas, Roger falou que acha "essa história dos super gráficos um @#*%# atraso de vida para a evolução dos games enquanto linguagem, em especial para a mecânica deles".

Tem um pouco a ver com o tema aqui do blog: detectar o que é que faz de um game algo desejável, re-jogável e, por fim, um clássico. Confira a entrevista, clicando aqui.

Na foto acima, a gang dos "Vovôs do Game", bate-papo aberto sobre game design do milênio passado, no encerramento da ESWC: Rodolfo Calabrezi (Quantix Games), André Abreu, jornalista de games, José Carlos Valle, do Museu do Computador, Roger Tavares, Kao Cyber, Moacyr "PC Engine Fan" e Ivan "Amiga" Mello (os dois sentados mais abaixo).

Em tempo: Se você AINDA não conhece a Game Cultura, está perdendo tempo! É lá que ocorrem as grandes discussões sobre game como forma de cultura, arte, produção profissional e produto para além do mundo dos nerds e dos baixinhos (com todo respeito aos geeks e aos jogadores mirins!).

Um comentário:

roger tavares disse...

poxa kao...
faz isso nao q eu fico envergonhado :8)

vou ter de falar o qto vc eh descolado, conhecedor e agitador cultural incuravel, entre outras coisas...

bom, a gente nao tem culpa desse tal de videogame atrair pessoas legais como vc pro nosso convivio, neh?

grande abraco
roger