sábado, 13 de setembro de 2008

PRESERVE JÁ!!!



Este assunto é batido, mas nem por isso é uma questão resolvida:

Você comenta com seu sobrinho sobre um game genial para C64, que nunca teve port para nenhum outro sistema ou console. O jogo era realmente sensacional e é uma pena que este material esteja perdido para sempre. O que fazer?


Ou, você encontrou na garagem da casa da sua mãe seu velho console Colecovision e aquele jogo genial, mas - Oh,God! - os controles já não funcionam mais. Como jogar?


Preservação da memória de vídeo game tem sido um drama sobre o qual muitos passaram a se debruçar nos últimos anos, a perceberem que não há como jogar jogos de disquete de Amiga na plataforma de um Atari 800, ou quando o pente de encaixe do cartucho já oxidou, tornando o sotfware inacessível mesmo com tudo o mais funcionando.


Esta mobilização ainda é tímida no Brasil. O grupo mais expoente nessa praia é o Canal 3, que vem mantendo vivo e pulsante o interesse pelos jogos clássicos e consoles das gerações passadas, mas não é fácil preservar memória em um país que mescla de maneira tão competente falta de acesso e excesso de desperdício ou, em português mais claro: embora custem caro, os bens são rapidamente descartados no Brasil, pois não temos uma cultura preservacionista (nisso podíamos ser incompetentes, né?).


Lá fora, até a Classic Gaming Expo 2008 foi cancelada por falta de interesse do hotel Riviera em receber a edição desse ano...


Porém, há muita gente batalhando para tentar minimizar este problema. O post anterior já mostra a iniciativa de um grupo de preservar as 'capinhas' dos games e, desde o ano passado, a IGDA mantém o SIG, um grupo de interessados em encontrar soluções para estes desafios.


Há dúvidas ainda sem solução, por exemplo: como arquivar jogos multiplayer online, como World of Warcraft ou Ultima Online?
Não há uma resposta fácil... Mas o fato de haver gente pensando nisso já é um alento, não?

Ajude essa galera: Se você tem algum game que muito velh