sexta-feira, 15 de junho de 2007

Retro Mobile - Parte 2

Afterburner, Castlevania e Doom: games clásicos no seu celular!

RETRO MOBILE - Parte 2

Estes games simplesmente não saíram de moda!
Na verdade, mais do que um modismo, estes jogos foram desenvolvidos em uma época em que nada igual existia e, portanto, não era possível nem ao menos fazer comparações entre estas criações e qualquer outra coisa... Mesmo se pegarmos jogos como Zork, que eram basicamente processadores de texto com uma rotina de programação inteligente para responder aos comandos digitados, e cuja inspiração provinha dos jogos tradiconais de RPG de mesa e obras literárias como "O Senhor dos Anéis", veremos que permitiam uma imersão e um estado de vínculo entre o jogador e a tela como nenhum grupo de jogadores de mesa conseguiu atingir.

Esta percepção da criatividade dos primeiros jogos nos permite observar a libedade de criação
desfrutada pelos desenvolvedores e a genialidade que resultou de suas obras, ainda hoje jogadas por todos.

Nomes como
David Crane, Shigeru Miyamoto e Nolan Bushnell não são famosos ainda hoje
por acaso. De fato, até surgir o Pong, não existia nada que fizesse você parar em frente a um monitor de tv para arriscar acertar um ponto luminoso com uma barra de fótons que se deslocava para cima e para baixo. Nunca ninguém havia corrido pela tela evitando perigos sob o comando de seus dedos... Nunca uma história havia sido contada ao vivo permitindo que você escolhesse caminhos e finais diferentes várias vezes para o herói da tela em tempo real!

E, por mais que o mercado esteja sempre se renovando, estamos assistindo a remakes... são reprises, cada vez mais primorosas, de filmes antigos, cuja história já conhecemos.

Chris Crawford, um grande estudioso dos games deu uma
entrevista há alguns anos atrás dizendo exatamente isto: estamos permanentemente reciclando as boas velhas idéias. O mercado de games não está inovando nada, apenas reprocessando o brilhantismo dos primeiros designers!

Não vejo as coisas de maneira tão pessimista como Crawford, mas percebo que, mesmo com as grandes soluções atuais, os jogos antigos continuam na ativa e isto não é apenas saudosismo de velhotes: é empatia pura e simples, entre as novas gerações dse gamers e soluções criadas há mais de 20 anos, mas que continuam geniais e divertidas.
Afinal, se ninguém discute o brilhantismo da invenção tricentenária da
bicicleta ou da diversão por ela proporcionada, porque os recursos eletrônicos devem sofrer este questionamento típico desta era de obsolência planejada?

Mas o melhor de tudo, mesmo, é o que dá título ao post de hoje, embora não seja uma novidade: retro games no celular da garotada!
Tenho percebido que não são poucos jogos, não. Tem até uma leva de games chamados '
Atari Legends' (clique no link 'Full Review' da página para ler a informação completa) com todos os clássicos como Asteroids e Pong, entre outros.
Preciosidades como Paperboy e Afterburner também ganharam versões divertidas e Doom acaba de ganhar uma
versão digna de respeito, mesmo entre os críticos das limitadas possibilidades de jogabilidade e recursos da telinha dos celus!

Certamente ainda há muito que vir por aí. Os celulares são uma plataforma ainda em processo de formatação. Já mostraram gabarito como agendas, máquinas fotográficas e players de música e agora mostram que também contam com plena capacidade de uso para o desenvolvimento de games.
Aparecerão games novos? Sem dúvida alguma. Mas também não tenho dúvidas de que os clásicos jogados em arcades, ataris, spectrums e outros consoles migrarão para a telinha...
Afinal, quem não tem saudades de Carmen Sandiego e Harry Pitfall???

Um abraço!

2 comentários:

Lucas disse...

Bem legais os artigos. Além de muitos jogadores interessados em jogos retrô, existem muitos criadores de jogos retrô também. É importante que idéias sejam renovadas e exploradas com criatividade. Só tenho uma crítica ao artigo: você deveria deixar claro que Pong foi o primeiro em tudo isso para o grande público, pois de certa forma já existiam alguns experimentos concretizados, mas restritos...
Abraços

cyberkao disse...

Obrigado pela observação, Lucas!
De fato, talvez não tenha ficado claro que Pong foi o primeiro game de 'massa', isto é, a tingir o grande público!
Valeu mesmo!!!